BBC Brasil - Primeira página

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

"EVANGÉLICOS" PEDEM A GLOBO UMA HEROÍNA DE NOVELA QUE SEJA EVANGÉLICA

Esta foi a notícia que saiu na rede semana passada. O problema central aqui é que setores da igreja evangélica brasileira se renderam à cultura do entretenimento. A postura da igreja em relação ao mundo tem que ser de confronto, ainda que feito em amor, para com as manifestações culturais que refletem a decadência moral e espiritual da humanidade. As culturas não são neutras. Nem toda expressão cultural se presta à comunicação do Evangelho.
No passado, os cristãos estariam muito mais preocupados em conquistar a arte, a música, o conhecimento e trazê-los cativos a Cristo (como ocorreu na Reforma) do que fazer o que alguns estão fazendo hoje, que é pedir aos poderosos deste mundo que os inclua numa de suas programações de entretenimento.
Fico imaginando o apóstolo Paulo indo até Roma e em vez de anunciar o poderoso Evangelho fosse a Nero pedir que no teatro do Coliseu as peças encenadas contivessem um personagem cristão que fosse o herói da encenação...
Aqui temos a igreja esmolando espaço aos poderosos deste mundo. No mundo funciona assim, se alguém pede um favor tem que estar pronto para dar algo em troca.
Uma igreja evangélica refém da Globo é profeta de rabo preso.
Mas é nisto que dá, confundir o poderoso evangelho da cruz de Cristo com teologia da prosperidade, show gospel e entretenimento gospel.
Augustus Nicodemus Lopes