Versículos

BBC Brasil - Primeira página

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

O Dever do Cristão


Por Pastor Egmon Pereira

TEXTO
Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo o bem, tapeis a boca à ignorância dos homens loucos; como livres e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus. Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai o rei. (I Pedro 2.15-17)

EXÓRDIO
Nos dias atuais, as pessoas têm se preocupado muito com os seus direitos, e não há problema nisso, o problema é que a maioria tem deixado completamente de lado os seus DEVERES. Essa noite vamos entender um pouco mais sobre como o Apóstolo Pedro, em sua primeira epístola, nos lembra que mais importante do que nos lembrarmos dos nossos direitos, é antes, cumprir com os nossos deveres.

NARRATIVA
A Epístola de I Pedro foi escrita aos crentes da dispersão (1.1) chamados por mais de uma vez de estrangeiros e forasteiros (1.1 e 2.11). Pedro os denomina dessa forma como que os elogiando, pois para ele ser forasteiro e estar em uma terra distante por causa da perseguição por amar e divulgar o evangelho de cristo é um privilégio. Na Epístola, Pedro obedeceu às ordens do Senhor Jesus de animar e fortalecer os irmãos dada em Lc 22.32; e de alimentar o rebanho do Senhor dada em Jô 21.15-17.
Assim como Paulo é chamado de o Apóstolo dos gentios (Rm 11.13), Pedro pode ser considerado o Apóstolo dos Judeus. Ele escreve aqui a esses irmãos, Judeus, que haviam fugido da perseguição religiosa, para animá-los e lembrá-los de seus deveres como cristãos: de sempre testemunharem com atitudes o evangelho do Senhor Jesus.
A seguir vamos entender pelo menos três deveres do Cristão, também nos dias de hoje.

I – DEVER DE SE PROCEDER CORRETAMENTE (2.11-17)
Pedro começa chamando os irmãos de Amados. E logo em seguida lhes faz um pedido, uma vez que eles como forasteiros, vivendo em terras estranhas deveriam se abster das concupiscências da carne, isto é, as paixões da carne que sempre lutam contra a alma. Assim, nós também somos estrangeiros nesse mundo e devemos nos abster das paixões da carne. Nossa igreja está nos 40 dias de propósito de oração e jejum pela família, isto é, estamos deixando de alimentar a carne e estamos alimentando o Espírito. De igual modo, devemos sim abandonar a cada dia os pecados que cometíamos e buscarmos as coisas lá do alto (Cl 3.1).
Para Pedro, o nosso procedimento entre os gentios, ou seja, entre aqueles que ainda não confessaram que Jesus Cristo é o seu único e suficiente salvador, deve ser correto. O nosso testemunho vai falar mais alto que as nossas palavras. O motivo para darmos testemunho é que o nome do Senhor Jesus se fará grande. Mas Pedro ainda nos dá outro bom motivo. Como estavam passando por tribulações e sendo injuriado, o bom testemunho e o procedimento correto entre os seus próprios acusadores seriam observados. Uma vez observados, Deus será glorificado no dia da Sua visitação.
Além disso, devemos nos submeter-nos às nossas autoridades humanas. Independentemente se somos a favor ou contra. Independente se elas são justas ou injustas. Pois o motivo de nos submetermos não é por temor às autoridades e sim por temor ao Senhor, por causa do Senhor. E a vontade de Deus é que pelo bom testemunho dos seus, os insensatos não tenham com que nos acusar e assim, mais uma vez, Deus será glorificado em nós.
Honrai a todos. Amai os irmãos. Temei a Deus. Honrai o rei. São sim deveres de cada cristão no dia a dia da sociedade, e também é um dever não apenas ser um bom servo, mas sim o melhor servo no seu dever.

I – DEVER DE SER O MELHOR SERVO (2.18-25)
Pedro agora se dirige aos servos. E o mandamento é para que eles se submetam aos seus senhores com todo temor e não somente aos bons e moderados, mas também aos maus. Pedro traz à memória o sofrimento que Jesus passou, sendo injuriado, suportando tristezas e padecendo injustamente. Novamente, Pedro quer que saibamos que passar por sofrimentos por causa de Cristo é um privilégio e que ao invés de ficarmos tristes, devemos nos alegrar.
São muitos os que sofrem perseguições no trabalho, na escola, faculdade, etc. e a mensagem de Pedro é, que devemos aproveitar tais oportunidades para que, assim como Jesus, através dos gestos testemunhasse de Deus, devemos nós através das nossas atitudes, também testemunhar de Cristo.
Não adianta dizermos que somos crentes se chegamos sempre atrasados no serviço e saímos mais cedo. Se na escola, ou faculdade todos nos ouvem dizendo que somos cristãos, mas colamos ou passamos cola na hora da prova ou copiamos tarefas e trabalhos. Deus tem nos dado inúmeras oportunidades no dia a dia para testemunharmos para outras pessoas e muitas vezes temos deixado tais momentos passarem. Temos que lembrar que antes de sermos servos dos homens, somos servos do Senhor Jesus e por isso devemos a Ele primeiro nosso temor e obediência.
No verso 24, Pedro nos consola nos lembrando que Cristo levou sobre o Seu corpo nossos pecados sobre o madeiro, para que mortos pelos pecados pudéssemos viver para a justiça. Assim devemos nos portar, com justiça, pois foi para justiça e não injustiça que Jesus se entregou por nós naquela cruz. Além do local de trabalho, Pedro nos lembra do nosso lar e dá uma mensagem também para os casados.

I – DEVERES DOS CASADOS (3.1-7)
A primeira palavra do capítulo 3 na versão contemporânea e na revista corrigida é “Semelhantemente”, na revista atualizada são “Mulheres, sede vós, igualmente”, a nova tradução na linguagem de hoje trás “Assim também você”. Pedro continua no mesmo assunto, isto é, vocês estão dentro de casa, mas devem continuar dando bom testemunho tanto para os de casa, quanto para os de fora que os observam.
Pedro começa dizendo para as mulheres que semelhantemente ao modo como devemos ser submissos às autoridades, as esposas também devem ser submissas aos seus maridos. Não ser apenas por ser, mas com um objetivo a ser alcançado. Pois se ele não obedece à Palavra de Deus, que venha a obedecer pelo bom procedimento da esposa em casa e seja ganho sem palavra, considerando apenas o bom testemunho em casa.
Algumas mulheres não vêm problema nenhum em serem submissas ao patrão, mas têm problema em serem submissas ao marido. A culpa disso provavelmente seja daqueles que dizem o tempo todo que a mulher tem que ser livre, acima de seus maridos, como se isso fosse liberdade.
Uma vez que a beleza exterior é importante, Pedro chama a atenção que mais importante do que a beleza corruptível, é a beleza incorruptível do Espírito Santo, que está dentro delas. E é essa a beleza que deve ser buscada com maior intensidade do que a beleza exterior.
No verso sete, Pedro agora chama a atenção para os maridos que devem Igualmente viver com sua esposa com entendimento, dar honra à sua mulher, e ele lembra aos maridos que a mulher é o vaso mais frágil que há e por isso merece um cuidado especial, um mimo maior. Paulo quando escreve aos Efésios nos diz que o marido deve dar sua vida pela esposa. Há muitos maridos que na igreja se mostram de um jeito e quando chegam em casa viram outra pessoa, maltratando a esposa, os filhos, e os vizinhos só observando tal atitude. Pedro alerta aos maridos para que honrem a esposa, pois do contrário, suas orações se quer vão ser ouvidas por Deus, pois elas serão impedidas.
No capítulo cinco Pedro se dirige aos anciãos e aos jovens e lembra que os jovens devem sempre respeitar e honrar aos mais velhos. O problema hoje em dia é que tem jovem que não dá honra nem ao pai dentro de casa, quanto mais aos de fora de casa. Pois jovem, se você quer dar bom testemunho, comece honrando os pais e da mesma forma os mais velhos.

CONCLUSÃO
No verso oito e nove do capítulo três, Pedro diz temos de ser todos de um mesmo sentimento, ou seja, compassivos, cheios de amor fraternal, misericordiosos, humildes, não pagar o mal com o mal, e nem a injúria com injúria, mas ao contrário, devemos bendizer, pois esse é o nosso chamado e então receberemos benção eterna.